'body-fauxcolumns'>

Governo da Bahia

terça-feira, 14 de agosto de 2018

ITABUNA: Graduando em Direito só consegue participar da própria formatura mediante liminar

Foto: Reprodução

O bacharelando em Direito José Jorge Souza, o Jorge Axé, foi surpreendido com o impedimento de participar da colação de grau juntamente com seus colegas pela Faculdade União Metropolitana de Educação e Cultura – UNIME. Segundo o estudante, a instituição não ofertou uma das disciplinas pendentes no último semestre, uma vez que o mesmo veio transferido de outra universidade. “Acredito que foi apenas um lapso, porque a instituição conta com bons profissionais no quadro pedagógico e administrativo, todavia, esse impasse comprometeu minha carreira no trabalho, retardará minha possível ascensão e impossibilitará a presença de várias pessoas que gostaria de me prestigiar nesse momento tão importante.”, desabafa Jorge.
Com todos os preparativos prontos para participar da formatura já marcada para próxima sexta-feira (17) e sem conseguir resolver administrativamente a situação, o estudante ingressou com uma ação judicial através da advogada Dra. Ana Maria dos Santos Santos, no sentido de reverter o impedimento.
Tramitando o processo na Vara dos Feitos Civeis da Comarca de Ubaitaba, o juiz Dr. Antonio Carlos Rodrigues de Moraes, entendendo configurado a violação do direito liquido e certo do discente, concedeu liminar determinando que o nome de Jorge seja incluído na lista de formandos habilitados à colação de Grau. Para o Magistrado: “(...) está claro o fundado receio de dano irreparável ou de difícil reparação, caso se espere até o deslinde final da ação, sofrendo a parte autora pelos dissabores advindos de todos os transtornos acadêmicos sofridos, quais sejam, prejuízos financeiros e emocionais, uma vez que várias pessoas foram alimentadas por este sonho e estão aguardando viver este momento ao lado dele, explicita a Decisão.
O bacharelando estar contando com a presença dos familiares, de vários amigos, colegas de trabalho, instituições religiosas e militantes dos movimentos ACAPEB, CETA, ACIAO e ACEAI, nos próximos dias 16 e 17 de agosto de 2018, no Centro de Convenções em Ilhéus-Bahia.
A nossa redação fez contato através de contato telefônico da faculdade, mas não obteve êxito. (Portal Gongogi)

terça-feira, 7 de agosto de 2018

Impedir Lula de concorrer será um tiro no pé


Com o quadro sucessório presidencial já praticamente definido, após a escolha dos vices no último fim de semana, as atenções se voltam agora para a questão Lula: será que a Justiça Eleitoral vai manter a farsa da sua condenação e impedi-lo de concorrer? Será que vão continuar essa encenação de julgamento justo? Será que vão insistir nesse falso pretexto de ficha suja, já que ele não cometeu nenhum crime? Se tal acontecer cairá de uma vez a máscara dos homens e mulheres de toga que posam de democratas. E ficará escancarado para o mundo o regime de exceção em que mergulharam o Brasil, onde a Constituição, que diz que todo o poder emana do povo e em seu nome será exercido, perdeu a validade. Afinal, que diabo de democracia seria esta onde o povo não significa nada? Que diabo de democracia seria a nossa onde quem seleciona os candidatos a governantes são os juízes? Que diabo de democracia seria esta onde o maior líder popular do país e líder das pesquisas de intenção de votos é impedido de concorrer? É claro que isso só é possível num regime de exceção.
Até o próximo dia 15, quando se encerra o prazo legal para registro de candidaturas, a situação de Lula deverá ser definida. Segundo renomados juristas, nada impede que ele seja registrado e concorra ao pleito de outubro, até porque existem precedentes, mas quando se trata de Lula o procedimento da Justiça se altera, as decisões são tomadas antes do julgamento e vale tudo para ferrá-lo. Não é segredo para ninguém que há uma disposição, dentro do Judiciário, para banir o ex-presidente da vida pública, mesmo com todos conscientes da armação para atingir esse objetivo. Alguns magistrados não conseguem esconder o seu constrangimento, mas temem contrariar a corrente e serem linchados pela mídia, em especial pela Globo, a maior interessada na morte política do líder petista. Na verdade, será um tiro no pé, porque o substituto dele, caso se confirme o impedimento, fará exatamente o que ele faria se eleito fosse. Fernando Haddad, que terá a responsabilidade de substitui-lo na corrida sucessória, é o coordenador do seu programa de governo e, portanto, estará inteiramente à vontade para executá-lo. Leia mais em Brasil 247

quinta-feira, 12 de julho de 2018

Itagibá: Prefeitura antecipa metade do 13º salário aos servidores

Prefeito Gilson Fonseca antecipa pagamento do 13º Salário

Em meio à grande crise financeira que vem atingindo o Brasil, principalmente na administração pública, o Prefeito de Itagibá Gilson Fonseca, dá um exemplo de compromisso com o bem-estar do servidor público municipal, confirmando nesta quarta-feira (11), o pagamento da metade do 13º salário de todos os servidores públicos municipais. O secretário das Finanças Ezequias Souza e o secretário de Administração Valdisio Felipe, também ressaltam que é uma marca da atual administração pagar em dia o funcionalismo municipal e são unânimes em afirmar que apesar das constantes quedas de receita os pagamentos vem acontecendo dentro do mês, além da preocupação de estar sempre honrando os compromissos assumidos com fornecedores. (Giro Itagibá)

LULA: ELES NÃO QUEREM APENAS ME MANTER PRESO, ELES QUEREM ME CALAR


O ex-presidente Lula transmitiu nesta quinta-feira 12 uma mensagem por meio dos ex-ministros Franklin Martins e Celso Amorim, que o visitaram na prisão, depois da decisão da juíza Carolina Lebbos, nesta quarta, que impediu o pré-candidato de dar entrevistas à imprensa. 
"Eles não apenas quererem me manter preso, eles querem me calar. Impedir de eu falar, impedir que o povo ouça o que eu fale. Mas eles estão enganados se acham que, com isso, vão derrotar as ideias", disse Lula, segundo Franklin Martins, que concedeu coletiva em frente à Polícia Federal em Curitiba.
Ele destacou que "as ideias viraram parte da experiência do povo durante todos esses anos" em que o PT governou o Brasil.
Segundo Celso Amorim, Lula disse o que segundo o ex-ministro "é uma frase muito importante". "Eu não vou trocar minha dignidade pela minha liberdade". Isso explica, segundo Amorim, “por que Lula pode e vai ser candidato. Porque ele está convencido de sua inocência”.
O ex-chanceler declarou ainda que Lula voltou a confirmar sua candidatura e disse estar muito preocupado com a soberania do País. "Ele vai ser candidato para recuperar a soberania do País", declarou o ex-ministro.


Mais Notícias