'body-fauxcolumns'>

Governo da Bahia

segunda-feira, 14 de março de 2016

IBIRAPITANGA: Camponesas do CETA comemoram o dia da mulher

 

Vindas de diversos acampamentos e assentamentos do sul da Bahia as mulheres do movimento de trabalhadoras assentados acampados e quilombolas - CETA realizaram, na manhã de ontem (13/02), o encontro que discutiu a temática central da campanha da fraternidade “Casa comum, nossa responsabilidade” e seu lema: “Quero ver o direito brotar como fonte e correr a justiça qual riacho que não seca”.

O encontro foi assessorado pela advogada Ana Maria que falou sobre realidade nacional do saneamento básico, a questão do lixo urbano e rural a situação da agua e dos biomas, chamando a atenção do que devemos fazer em quanto cidadãos para possibilitar que esse quadro possa mudar para que a população possa ter saúde e qualidade de vida.


Dra. Ana Maria
Diante da realidade apresentada o encontro propôs como ações concretas ter um cuidado racional com a terra para que ela produza de forma mais sustentável não utilizando agrotóxicos e tendo a agroecologia como princípio; reduzir o consumismo exagerado e o desperdício de agua. Além disso, cobrar dos nossos governantes os planos de saneamento básico e políticas públicas para reduzir os problemas de saúde causada por falta o mesmo.

No segundo momento, Juciara Perminio, Pedagoga-militante do Ponto de Cultura ACAPEB -Associação Cultural e Beneficente Antônio Pereira Barbosa falou dos avanços dos direitos das mulheres nos últimos anos, destacando as políticas de combate a violência familiar sofrida pelas mulheres e denunciada no dia-a-dia. Ressaltou que os dados os dados estatísticos apresentam o maior número de casos registrados nas zonas urbanas dos municípios. As políticas sociais possibilitaram que essas mulheres pudessem conquistar autonomia tendo acesso a créditos a universidade, disse Juciara Perminio, sendo que muitas delas são responsáveis pela casa cuidando dos filhos sozinhas, concluiu.
Juciara Perminio (Ponto de Cultura ACAPEB)

 Para Teresa Francisca, umas das organizadoras do evento, “o encontro trouxe para nos camponesas uma reflexão sobre nossa casa comum, o quanto que as nossas ações refletem diretamente sobre o meio ambiente é necessário que a cada dia desenvolva ações voltadas para a proteção do meio ambiente, produzir com base agroecológica garantindo a sustentabilidade”.


O encontro iniciou pela manhã e à tarde as mulheres participaram da oficina de confecção de velas, ministrada por Dra. Ana Maria, que acredita que o artesanato é uma forma de reduzir os ricos ambientais e ajudar na sustentabilidade familiar.






Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Envie suas sugestões, críticas e denúncias.

Mais Notícias