'body-fauxcolumns'>

Governo da Bahia

sábado, 23 de dezembro de 2017

GONGOGI: Às vésperas do Natal, prefeito atrasa salários e servidores revoltados vão às ruas

Foto: Moabe Souza
Professores e demais servidores rede municipal de educação de Gongogi, a 389 km da capital baiana, irão às ruas da cidade neste domingo, 24, protestar contra os salários atrasados.
Segundo a categoria, o prefeito Edvaldo dos Santos (PR), o Kaçulo, ainda não pagou o mês de dezembro de 2016, o terço de férias e tampouco, o décimo terceiro salário, embora consta no demonstrativo do Banco do Brasil, que o município recebeu do FUNDEB, o valor 4.475.913,18 (quatro milhões, quatrocentos e setenta e cinco mil, novecentos e treze reais e dezoito centavos), neste mês de dezembro.
Em entrevista com o presidente da APLB/Sindicato, professor Ms. Eudes Siqueira, disse que é inadmissível a falta de pagamento à categoria educacional. “O prefeito Kaçulo foi claro na assembleia da categoria que só pagaria o salário de dezembro no dia 29 deste mês, e não poderia prometer o pagamento do décimo terceiro, embora reconhece que deveria ser pago até o dia 20/12. (...) Estamos convocando a categoria para ir as ruas num movimento legítimo porque o atraso salarial compromete o orçamento familiar, pois as contas não esperam e os juros são altos e não podemos pagar um alto preço por causa da falta de planejamento do governo municipal. (...) Merecemos um final de ano digno com o salário de nosso suor", conclui o sindicalista.
Nossa redação fez contato com Fátima Ribeiro, Secretaria de Educação, que disse que só tem conhecimento que o prefeito participou da assembleia da APLB e fez um acordo com a categoria e está na iminência do cumprimento.
O Portal Gongogi contatou, via telefone, com o Secretário de Finanças, Binho Reis, que afirmou que o município não recebeu o valor discriminado no demonstrativo bancário, pois o débito foi movimentado na fonte, na realidade a receita do fundo é apenas R$ 312.863,23. “No dia 28 vai ser pago o décimo terceiro e estou fazendo um levantamento para definir a data correta que vai ser pago o resto a pagar do governo anterior que ficou em aberto, afirmou o secretário”. 
Em nota, a Confederação Nacional dos Municipios (CNM), esclarece que a medida de proceder o estorno dos repasses do FUNDEB, ocorreu por causa da publicação da Portaria MEC/MF, que trata da reestimativa de receitas do Fundo para o ano de 2017 e a retificação do Censo Escolar 2016. (Portal Gongogi)


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Envie suas sugestões, críticas e denúncias.

Mais Notícias