'body-fauxcolumns'>

Governo da Bahia

segunda-feira, 22 de janeiro de 2018

ANA MARIA num momento primaveril que inspira a poesia que gesta a liberdade

Uma homenagem a poetisa das revoluções pela passagem de seu aniversário
Por Jota Souza

Um dia aprendi que ser poeta é dominar a arte de indignar-se contra as sevícias a que são submetidos cotidianamente os menos favorecidos. Uma lição que me fez compreender onde estão agraciados os lindos versos que compõe a forma harmoniosa da linguagem.

A linguagem que extravasa os recursos estilísticos dos gráficos que inventam e enfeitam o engodo erudito e nos arrasta a deliciar-se das delicias do corpo presente sem preocupar-se com o pleonasmo literário, porque a única preocupação dela ‘linguagem’ é manter viva  a figura humana com a dignidade que a poesia é capaz de proporcionar.

"Falar de primavera é falar de poesia
e falar de poesia é gestar a liberdade no dia-a-dia
falar de liberdade no dia-a-dia é em tudo colocar harmonia
e falar de harmonia é lembrar das lutas da grande Ana Maria
Por isso, tudo se resume em poesia".

Posso não ter aprendido a ser poeta, mas com Ana Maria, de Ibirapitanga, companheira, amiga, advogada, professora, guerreira, revolucionária, mãe, pai, dentro de tantos adjetivos mais, aprendi fazer poesia com o corpo envolto das indignações e com atitudes que fazem vidas gerarem vidas. Hoje, eu sei que poesia não se compõe, mas toda poesia traz em sua essência uma composição coletiva, onde, todos os dias, humanos conseguem ver na outra pessoa a razão do seu viver.

Essa vida é um grande espelho que todos os dias vemos na outra pessoa o reflexo de nossa imagem... Assim, aprendi com Ana Maria, de Ibirapitanga, que a dignidade é uma poesia que é inspirada no cotidiano para que grandes e verdadeiros poetas e poetisas traduzam com ações fomentadas nas alegrias, nas tristezas, nos choros, nos sorrisos, nas lutas... compondo-a incansavelmente para o acervo do livro mais importante do mundo: a VIDA.

Parabéns Ana Maria por mais uma primavera! Parabéns minha poetisa preferida que me ensinou a ler e escrever um poema que não tem letras! (Portal Gongogi)


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Envie suas sugestões, críticas e denúncias.

Mais Notícias