'body-fauxcolumns'>

Governo da Bahia

Histórico de Gongogi


Histórico

A região era primitivamente habitada pelos índios pataxós.
A exploração do território iniciou-se no século XIX, aventureiro que se estabeleceram às margens do rio de Contas, desenvolvendo a cultura do cacau.
Em 1935, os fazendeiros Manuel Eusébio de Vasconcelos Couros e José Queirós se fixaram às margens do rio Gongogi, principal afluente do rio de Contas, construíram as primeiras residências para trabalhadores e a capela de nossa Senhora Sant’Ana. Pouco depois, formou-se o povoado Pedrinhas, cujo nome originou-se da existência de grande quantidade de pedras no local.
Com a passagem da rodovia BA – 02 pelo povoado, em 1942, surgiram os primeiros sinais de progresso.
No ano de 1946, Eduardo Vasconcelos, filho de Manuel Eusébio, dividiu parte de suas terras em pequenos lotes, distribuindo-os aos interessados em estabelecer-se no arraial, contribuindo para o seu desenvolvimento.
Criando-se o município em 1962,mudou-se o topônimo para Gongogi, adotando-se o nome do rio que percorre o município.

Gentílico: gongogiense

Formação Administrativa

Distrito criado com a denominação de Gongogi (ex-povoado de Pedrinhas), pela lei estadual nº 628, de 30-12-1953, com terras desmembradas do distrito de Tapirama, subordinado ao município de Ubaitaba.
Em divisão territorial datada de 1-VII-1955, o distrito de Gongogi, figura no município de Ubaitaba.
Assim permanecendo em divisão territorial datada de 1-VII-1960.
Elevado à categoria de município com a denominação de Gongogi, pela lei estadual 1668, de 12-06-1962, desmembrado de Ubaitaba. Sede no antigo distrito de Gongogi. 
Gongogi tem um distrito denominado Tapirama e um povoado Nova Palma.
Outra curiosidade importante são dois assentamentos de Reforma Agrária: Santa Irene e São Jerônimo.



MAIS UM POUCO SOBRE GONGOGI

O povoamento do atual Município de Gongogi teve início com a formação de duas aglomerações distintas.

Em 1928, Petrolino Araújo da Silva, Deocleciano Alves Ferreira, Sebastião Alves Ferreira e Clarino Rodrigues se estabeleceram às margens do Rio de Contas, em terrenos de propriedade de João Caetano Muniz e Claudiano Muniz e requereram ao Dr. Renato Laport, Delegado de Terras do Município de Itapira da Comarca de Itacaré, o desmembramento de sete hectares de terra das propriedades acima e fundaram o povoado de Itajaí. Construíram casas, escolas e edificaram uma capelinha consagrada a São Benedito. Seu desenvolvimento foi rápido, em 1934 foi o povoado elevado à categoria de Distrito de Paz, com mesmo nome, do município de Itapira (atual Ubaitaba) da Comarca de Itacaré. Em 1944 passou a denominar-se Distrito de Tapirama.

Por outro lado, em 1935, os fazendeiros Manoel Euzébio de Vasconcelos Couro, José Queiroz e o posseiro Jorge Kalid, construíram as primeiras casas para trabalhadores, às margens do Rio Gongogi, em terrenos de suas propriedades denominadas Pedrinhas e São José e construíram a Capela de Nossa Senhora Santana, cuja imagem fora trazida pelo Coronel Manduca e recebida pelos moradores com grande manifestação de fé. Poucos anos depois, estava formado o Povoado de Pedrinhas, cujo nome originou-se pelo fato de no local existir grande quantidade de pedras.

Em 1942, chegou àquele Povoado a locação da Estrada de Rodagem da BA-2, que partindo de Jequié a Itabuna, atravessaria toda aquela extensão de terras, ligando o Povoado ao Distrito de Ubatã e à Cidade de Ubaitaba, localidades mais próximas. Em 1945 já bastante adiantados os trabalhos de pavimentação da BA-2, veio o Povoado a sentir os primeiros sinais do progresso, com a construção de uma ponte de cimento armado sobre o Rio Gongogi. Era a estrada rasgando aquela vasta região, constituindo-se na única via para escoamento dos produtos, gerando riquezas e melhorando consideravelmente a vida de um povo.

Com a chegada dos garimpeiros (denominação usada usada na região para aqueles que trabalhavam na pavimentação da estrada), construíram-se casas, escolas e reformaram a Igreja de Nossa Senhora Santana. No ano seguinte, Eduardo Vasconcelos, filho de Manoel Euzébio de Vasconcelos (falecido) dividiu em pequenos lotes as terras de sua propriedade e distribuiu aos interessados para construção de casas, cuja atitude muito contribuiu para o desenvolvimento daquele povoado.


Formação Administrativa 

Em 22.06.54, o povoado foi elevado à categoria de Distrito de Pedrinhas, do Município de Ubaitaba, ficando em igual condição o Distrito de Tapirama.

Em 12.04.62, por força do Decreto nº 1.668, que trata das Emancipações, foi criado o Município de Gongogi desmembrado do Município de Ubaitada, e elevada a Sede à categoria de cidade, passando o Distrito de Tapirama a pertencer ao município recém-criado.

Fonte: Ibge







Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Envie suas sugestões, críticas e denúncias.

Mais Notícias